sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Assim

Que cor viste pela manhã? Quantas vidas viveste antes do meio-dia? Que personagens já foste? Quantos litros de felicidade bebeste do ar que respiras? Quantas vezes foste estrela de TV? Que palavras te disseram mais que um livro inteiro? Que cor tinham os olhos que viram três crianças a puxarem os seus papagaios de papel deixando pegadas de alegria na relva molhada? Que tom de bom-dia trocaste com a senhora do café que te perguntou 'com ou sem adoçante'? Quem te prendeu o olhar com um pequeno traço de ingenuidade? Quem disse que 'é assim' quando pensavas que não era? Quem levou a vida a sério quando ela é um parque de diversões, com entrada livre? Quantas horas eram afinal quando a inspiração te bateu à porta de casa e te pediu para entrar? Quantas vezes gritaste para dentro pensando que ninguém te ouvia? Quando descobriste que hoje era o melhor dia para adiar outra vez o que querias realmente fazer? Quem te disse que o melhor ainda está para vir? Quem te disse o contrário? Quem te disse que a verdade está no meio das duas? Quem te disse que sei onde estás? Quem te disse que o caminho para aí é sempre é linear? Quem te deu essa noção de tempo de séculos? Quem te disse que não apareço aí? Quem te disse que não estou aí neste momento? Talvez hoje ainda nem tenha aberto os olhos. Assim.

1 comentário:

Mãe da Teresa disse...

www.vivercombomsenso.blogspot.com

san juan de la cruz

Entréme donde no supe
Y quedéme no sabiendo,
Toda ciencia trascendiendo.