segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sal

Diz que conhece Deus por dentro. Vai de quando em quando, de longe em longe. Segue pelo caminho largo que a vida ensinou a trilhar. Ignora as encruzilhadas, como se elas fizessem parte de um destino traçado há momentos. Levanta leves voos rasantes que lhe fazem ver mais de perto. Pirueta por entre os obstáculos da incoerência que reina entre as pedras que se atravessam no seu caminho. Não olha para trás. Detesta sal. Detesta pensar que o que vem de trás dá origem ao que se pode esperar passado um tempo. Leva na bagagem uma mão cheia de ansiedades bacocas que lhe amputam o pensamento. Pára no sinal encarnado. Pára na artéria mais próxima que lhe cobre de paixão um olhar polvilhado pelo medo. Ainda vai longe. Talvez um dia a vida lhe acabe por ensinar que só conhecer Deus pode não chegar. Convém conhecer também os peões que se lhe atravessam no seu lado do passeio.

3 comentários:

António, só António. disse...

Eh pá! C'um catano! Já não passava por aqui há uma porrada de tempo e está pejado de textos bonitos. Quase quase a rebentar pelas costuras. Isto é que é produzir. É disto que o meu povo gosta: palavras leva-as o vento e as mensagens dão à costa.
Não faz lá muito sentido sentido mas não tem importância nenhuma. Abração.
António

Anónimo disse...

Que bem que fazes enviar um mail a despertar a curiosidade...Soube muito bem vir aqui espreitar, depois de ler os teus "pequenos" textos principalmente o "Sal" fiquei de alma cheia.
Continua a encher-nos a alma ;)
Bjs
Paula Martins

Mãe da Teresa disse...

SUPER-HOMEM

Onde está ele o super-homem? Onde?
- Encontrei-o na rua ia sozinho
Não via a dor nem a pedra nem o vento
Sua loucura e sua irrealidade
Lhe serviam de espelho e de alimento

Sophia